Óleo de Cozinha – muitas soluções, mas falta de boas práticas

O óleo de cozinha sempre foi um desafio em termos de descarte. Atualmente, existem ciclos de logística reversa capazes de lidar com esse resíduo, mas ainda há muitas pessoas e até mesmo estabelecimentos e restaurantes que não efetuam o descarte da maneira que deveriam.

Resíduo - Óleo de Cozinha

O principal desafio do correto descarte do óleo é o seu armazenamento. Ninguém quer estocar óleo de fritura utilizado – cria sujeira e exala um odor desagradável e característico. Entretanto, há recomendações nesse sentido:

  • A melhor forma de armazenar, de forma caseira, é mantendo o óleo utilizado em garrafas PET, para evitar vazamentos e reduzir o odor.
  • Jamais descartar em pias ou vasos sanitários. O encanamento desses sistemas possui “caixas de gordura” que podem acumular o excesso de óleo e resíduos sólidos provenientes da fritura. Com o tempo, o acúmulo pode gerar entupimentos e cargas sólidas na tubulação.

IMPORTANTE: sempre aguarde o esfriamento do óleo para efetuar o descarte ou o armazenamento. Especialmente no caso das garrafas PET, temperaturas acima dos 50 ºC ou 60 ºC podem causar deformações ou até mesmo vazamentos nas garrafas.

É possível reciclar o óleo de cozinha

Óleos utilizados para fritar e cozinhar jamais serão refinados e purificados para que sejam novamente utilizados para esse fim. No entanto, o óleo de cozinha usado pode ser empregado na fabricação e na produção de diversos outros produtos:

  • Biodiesel
  • Sabões e detergentes
  • Tintas e pigmentos de alguns tipos
  • Outros óleos para lubrificação
  • Massa de vidraceiro
  • Produção de farinhas básicas para rações animais
  • Geração de energia em caldeiras, através da queima

Para que isso seja possível, porém, é necessário que o óleo percorra a cadeia. Ou seja, sua destinação precisa ser conduzida de forma adequada por empresas como a Trashin, que possuem estruturas e esquemas para lidar com esse tipo de resíduo.

Consequências do descarte incorreto

Quando descartamos óleo de cozinha usado junto ao restante do lixo ou em pias e sistemas de coleta de efluentes, criamos problemas graves. Os óleos vegetais, principalmente após a utilização, são ricos em ácidos graxos e substâncias capazes de alterar o pH e a acidez de grandes volumes de água.

As consequências da contaminação podem ser medidas e avaliadas, inclusive, nos solos. Regiões com lençóis freáticos contaminados por óleos vegetais descartados podem oferecer problemas para o cultivo de uma série de culturas.

O óleo ainda altera a viscosidade das massas de água, produz manchas e altera o calor específico de mananciais – o que leva a alterações de temperatura, que podem ameaçar espécies locais.

Curiosidades

PRA QUE JOGAR FORA? Hoje existem ciclos de coleta e reciclagem de óleos vegetais usados, porém há outros usos e ressignificações desses óleos que podem ser feitos em casa mesmo.

O óleo usado ainda é um excelente lubrificante para chaves e cadeados, pode ser usado para polir objetos de couro, acender lamparinas e lampiões, remover tintas das mãos e muito mais. Mas calma – logo, logo a Trashin vai falar sobre tudo isso.

Referências

JUNIOR, OSR Pitta, et al. Reciclagem do óleo de cozinha usado: uma contribuição para aumentar a produtividade do processo. In: Internacional Workshop Advances In Cleaner Production. 2009. p. 1-10.