Trashin na mídia | Startup ligada à Rede Zenit promove ações inovadoras em meio à pandemia – Portal UFRGS

Máscaras reutilizáveis estão sendo produzidas a partir de resíduos têxteis, como uniformes de empresas e mochilas (bags) usadas por entregadores – Foto: Divulgação

A crise provocada pela Covid-19 tem exigido mudanças de rotina em todo o mundo, fazendo com que as pessoas passem mais tempo em casa, utilizem máscaras, higienizem compras e lavem as mãos com mais frequência. No mundo dos negócios, as empresas têm precisado de criatividade para se adaptar aos cuidados necessários – para os micros e pequenos negócios, o desafio pode ser ainda maior.

Nesse cenário, alguns empreendimentos se destacam ao trazer ideias inovadoras para o enfrentamento de crise. É o caso de uma das empresas associadas à Rede de Empresas do Zenit, o Parque Científico e Tecnológico da UFRGS, a Trashin, que atua na área de gestão de resíduos e educação ambiental. A empresa tem realizado ações como reaproveitamento de tecidos para produção de máscaras, elaboração de materiais educativos sobre descarte correto de resíduos e disponibilização de materiais de higiene e cestas básicas para trabalhadores das cooperativas de reciclagem parceiras.

O diretor da Trashin, Sérgio Finger, explica que máscaras reutilizáveis estão sendo produzidas a partir de resíduos têxteis, como uniformes de empresas e mochilas (bags) usadas por entregadores. A empresa repassa esses tecidos para parceiros que estavam sem produção, como a Cós – Costura Consciente (grupo de costura da Vila Flores, de Porto Alegre) e a Ciclo Reverso, um grupo de costureiras de Viamão, composto por mulheres em situação de vulnerabilidade. Após a produção, as máscaras são encaminhadas para doação em comunidades carentes. “Essa ação tem vários resultados: geração de renda para grupos locais de produção, destinação correta de resíduos têxteis, disponibilidade de máscaras acessíveis para a população e diminuição da demanda pelas máscaras específicas para profissionais de saúde”, exemplifica Sérgio.

startup também tem trabalhado na elaboração de materiais educativos para os clientes (empresas e condomínios) sobre o descarte correto de resíduos recicláveis. O objetivo é reduzir o potencial de contaminação por esses materiais e garantir a segurança dos trabalhadores que transportam e fazem a triagem do lixo. Outra ação é a disponibilização de materiais de higiene e equipamentos de proteção individual para os trabalhadores das cooperativas parceiras, além da doação de cestas básicas para esses profissionais. “Também estamos atuando no contato com a rede de compradores de resíduos recicláveis para que continuem adquirindo os materiais e buscando novos interessados, para que o material não fique parado nas cooperativas, evitando problemas com o fluxo de caixa e garantindo renda para os cooperativados”, afirma Sérgio. A empresa também se inseriu na cadeia do plástico para atender à demanda de produção de protetores faciais, os face shields, através da destinação e do reaproveitamento de materiais como garrafas pet.

Trabalhadores das cooperativas de reciclagem parceiras receberam doação de cestas básicas – Foto: Divulgação

Startup integra a RedeZENIT

A Trashin é uma das integrantes do Programa de Empresas Associadas Não Residentes do Parque Zenit, a RedeZENIT, que conecta empresas ao ecossistema de empreendedorismo inovador da Universidade. Assim, os empreendimentos interagem com empresas juniores ou incubadas, outras empresas associadas, rede de laboratórios tecnológicos, centro de recondicionamento de computadores e ainda podem participar de capacitações, treinamentos e outros serviços na área de inovação.

Sérgio destaca que o principal motivo para a empresa ter aderido à RedeZENIT é a aproximação com a Universidade, tanto na pesquisa quanto na conexão com a sociedade. “A rede também nos dá mais credibilidade perante o mercado, atraindo clientes e parceiros interessados em atuar com a Trashin por saber dessa nossa conexão com a UFRGS e com o Parque Tecnológico”, explica. “Antes e durante a pandemia, o Zenit tem facilitado nosso acesso a empresas com pesquisa e tecnologia de ponta dentro das incubadoras ou junto aos pesquisadores da UFRGS, além de nos capacitar como empresa para desenvolver melhores produtos e serviços para ofertar ao mercado”, completa.

Essa interação com o ecossistema inovador da Universidade também permitiu que a Trashin contribuísse com a PrintUP 3D, empresa graduada na Incubadora Hestia, na confecção de protetores faciais. O relacionamento construído dentro da UFRGS, ressalta Sérgio, foi fundamental para o estabelecimento da parceria: “As conexões só foram fortalecidas porque tinham o selo da UFRGS. A gente conseguiu as doações e pôde conectar as empresas e os sindicatos do plástico em função da marca da UFRGS, isso facilitou muito”.

Para o diretor do Parque Zenit, Marcelo Lubaszewski, em tempos de pandemia, essas conexões se voltam ao enfrentamento da Covid-19, se apoiam na fortaleza tecnológico-científica e extensionista da UFRGS e se fortalecem na credibilidade da Universidade perante a sociedade. “Resulta que surgem ações colaborativas como as da Trashin, que impactam positivamente a vida das pessoas e de suas famílias, evitam o naufrágio de pequenos e promissores negócios e trazem lições importantes de sustentabilidade social, econômica e ambiental”, completa.

Publicação original aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *