Mas...e o vidro? Entenda a importância da reciclagem do material transparente

Quem diria que um material frágil teria um forte potencial de reciclagem. Isso mesmo, o vidro é 100% reciclável.

Você já ouviu falar dos cascos reutilizáveis? Esta era uma prática muito comum das gerações passadas em nosso país: ir com uma garrafa de vidro debaixo do braço até o mercado repor o refrigerante. Na época, o principal motivo era econômico. Atualmente, esta prática já não é tão cotidiana, contudo, o uso dos recipientes de vidro segue em voga.

Com o advento de novas tecnologias evidenciou-se ainda mais os malefícios da decomposição do vidro para o meio ambiente. Por isso, a importância de reforçarmos algumas dicas de como realizar o descarte correto do vidro, bem como versar sobre seu reaproveitamento em uma economia circular.

A importância do descarte correto do vidro

Realizar o descarte correto de resíduos é fundamental. Esta é a principal ferramenta para o desenvolvimento de uma consciência ambiental que garanta a sustentabilidade.

Dentre estes materiais, o vidro merece atenção especial. Suas propriedades o caracterizam como um material com decomposição extremamente lenta. Inclusive, podendo levar mais de 1000 anos para se decompor. 

Em sua composição encontram-se: areia, corantes e descorantes, barrilha (carbonato de sódio), alumina (óxido de alumínio) e calcário. A união desses ingredientes expostos a intensas temperaturas, transforma-se em uma massa quase líquida, que pode ser formatada. Após esta etapa, passa por um processo lento de resfriamento, para que fique com o aspecto do vidro que conhecemos. Quanto ao estado físico do vidro, podemos dizer que ele é um sólido não cristalino que apresenta o fenômeno de transição vítrea

Com estas informações fica clara a importância de descartar corretamente este material!

Vamos à prática! Como descartar o vidro? 

Tanto por sua lenta decomposição no meio ambiente, quanto por seu risco à saúde dos profissionais de coleta (cortes e lesões), destaca-se algumas dicas importantes:

– Descarte o vidro na lixeira de recicláveis!;

– Armazene o vidro descartado em papel: pode ser jornal ou caixa de papelão;

– Não é necessário remover os rótulos dos vidros antes de separá-los para a reciclagem;

– Separar as tampas da embalagem, pois são compostos por outros materiais, como metal e plástico;

– Se o recipiente de vidro estiver quebrado, você pode: envolver os cacos em jornal ou até mesmo colocá-los dentro de uma garrafa pet cortada;

Atenção! Lâmpadas fluorescentes não vão para o cesto de recicláveis. Por mais que esses produtos contenham vidro, eles não devem ser descartados na coleta seletiva, devido a presença de mercúrio em sua composição;

– Aconselha-se que as embalagens de vidro de remédios e de outros produtos químicos sejam descartados em pontos de coleta de farmácias e Unidades de Saúde. Caso não seja possível, lave os recipientes para descartá-los em lixo reciclável;

– Nunca misture porcelanas, louças, cerâmicas e similares com o vidro, já que esses materiais são os piores contaminantes ao material, pois não derretem, geram perdas de cacos e prejudicam a reciclagem;

Não descarte eletrônicos no lixo reciclável. A legislação vigente exige que os fabricantes e revendedores de eletroeletrônicos recebam seus antigos aparelhos de volta para serem encaminhados para recicladoras específicas. Ou seja, seu celular, seus fones de ouvido, carregadores, notebooks, televisores, entre outros, não devem ser descartados em lixo reciclável!;

– No caso do vidro temperado (vidros mais resistentes), contate um vidraceiro para recolher este material;

Reciclagem e reaproveitamento do material

O processo de reciclagem reduz, de maneira muito significativa, o impacto sobre o meio ambiente, pois é através dessa ação que as matérias-primas retiradas da natureza podem retornar a cadeia de produção e consumo. Além de diminuir o consumo de água e energia, impede-se que resíduos fiquem cerca de 400 anos enterrados em aterros sanitários país afora.

O caminho da reciclagem do vidro no Brasil passa por estas etapas: coleta, depósito na empresa recicladora, remoção de tampa e rótulo, triagem por tipos de produto e cor de vidro, separação de objetos não recicláveis, lavagem para remoção de resíduos, moagem do vidro e refundição.

Interessante é que a composição do vidro não se perde no processo de reciclagem e pode ser 100% reaproveitada, sem perder a qualidade.

Logística reversa: Trashin fazendo sua parte na economia circular do vidro

Realizando essa separação simples de maneira adequada, é possível efetuar um processo de triagem de resíduos sólidos muito mais eficaz. 

A missão da Trashin é disponibilizar os coletores e lixeiras, bem como a correta instrução de descarte. Através de parcerias com cooperativas de reciclagem, estes resíduos passam por recolhimento, triagem e destinação. Daí em diante, as cooperativas vendem os materiais para a indústria.

Nossa empresa presta serviço para marcas de destaque por todo território nacional. Além disso, a Trashin está em contato com todos os pontos da cadeia de descarte e transformação, entendendo as problemáticas e desafios constantes dos grandes geradores para encontrar soluções sustentáveis para seus resíduos. Não ficamos apenas dando luz para os obstáculos da indústria, vamos atrás de respostas.

Falando nisso…está por dentro dos principais debates sobre sustentabilidade no Brasil? Então escuta essa: criamos, em parceria com a Amcham, a revista ESG Trends, que explica, com uma linguagem palpável e prazerosa, o que é ESG e a importância de aplicá-la ao seu negócio.

Você tem mais alguma dúvida a respeito do descarte do vidro ou tem interesse em saber mais sobre nossa empresa e nosso serviço? Preencha o formulário abaixo para que possamos entrar em contato!