Home office, Covid e resíduos: dicas úteis de descarte

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

Longe dos outros e perto dos resíduos

O trabalho à distância tornou-se, para muitas empresas e organizações, a única opção em tempos de distanciamento social. O Covid-19 e as determinações de isolamento e quarentena fizeram proliferar o chamado Home Office. Trabalhadores puderam então seguir com suas funções e tarefas, sem estar expostos ao risco de contágio ou representar riscos para os colegas.

Mas embora distantes do local de trabalho e dos colegas, trabalhadores que mantiveram sua jornada a partir de casa e do home office ganharam proximidade com outro aspecto da vida: os resíduos que geram. Produzimos quilos de lixo todos os dias e, quando estamos em uma rotina normal, esses resíduos ficam distribuídos nos vários lugares que frequentamos: em casa, no escritório, no transporte público, nas vias de acesso, etc.

Covid concentrou a geração de resíduos

Aqueles resíduos que costumeiramente eram descartados em locais de trabalho, rapidamente passaram a se acumular em nossos banheiros, salas e cozinhas. O que antes passava despercebido tornou-se um incômodo visível. A maioria de nós não tem ideia, por exemplo, do quanto de embalagens descartamos todos os dias:

  • Vasilhas, caixas e embalagens de alimentos no almoço, durante o expediente.
  • Copos de café, água e bebidas que consumimos durante o dia.
  • Tíquetes, talonários, cartões, bilhetes e pedaços de papel que nos são dados diariamente.
  • Toalhas de papel e papéis higiênicos que utilizamos em banheiros públicos e no trabalho.
  • Em tempos de Covid, máscaras descartáveis, luvas de plástico e embalagens que contêm esses objetos.

 

Muitas pessoas passaram a entender melhor seus hábitos de consumo, e com eles os de descarte. O volume criado repentinamente gerou uma oportunidade única de conscientização – agora podemos ver mais claramente o impacto dos resíduos gerados e como o descarte e processamento disso tudo pode reduzir a pegada ambiental em toda a sociedade.

Máscaras

Em casa, não há necessidade do uso de máscaras. Mas com a maior permanência em casa, estamos a todo momento frequentando o comércio local, mercados e, sempre que saímos, temos de utilizar máscaras, ao menos na maioria do território.

No retorno, descartamos máscaras que podem ser consideradas como objetos contaminados e que, a rigor, precisa ser separado do lixo reciclável, independentemente do material. Poucas pessoas, por exemplo, têm mantido uma prática correta no que se refere ao descarte de máscaras, luvas e afins por conta do Covid-19.

Descarte das máscaras

Ao chegar em casa, retire sua máscara com o auxílio de uma folha de papel toalha, para evitar contato com o material. Em seguida, coloque-a em uma sacola plástica. A rigor, as máscaras devem ser tratadas como material contaminado, para todos os efeitos.

Máscara Reutilizável​

Caso sua máscara seja reutilizável, você pode lavá-la com água e sabão (ou detergente), deixar secar em local arejado e finalizar com breve uso do ferro de passar. Evite, durante esse processo, o contato da máscara usada com outras peças de roupa ou objetos de uso cotidiano.

Separação de Resíduos

O aumento no volume de resíduos em geral produzidos em casa, por conta do isolamento social, tornou mais urgente e importante o correto descarte de cada material ou classe de lixo. Devemos pensar em termos práticos: a coleta seletiva também se tornou mais volumosa e toda ajuda no sentido de facilitá-la é bem-vinda.

Mesmo no caso de materiais não recicláveis, como o lixo orgânico (e as máscaras descartáveis), devemos garantir que tudo esteja bem acondicionado e separado. Os lixeiros, empresas de coleta seletiva e todos que lidam com resíduos como parte do trabalho estarão ainda mais expostos ao vírus e à contaminação, caso deixemos de cumprir o nosso papel.

  • Você não precisa segregar os recicláveis por todos os seus tipos. Segregá-lo dos rejeitos/orgânicos já é o suficiente.
    Ao chegar no processo de triagem, esses materiais serão separados, avaliados e corretamente destinados por trabalhadores experientes.
  • Cuidado com o Vidro! Dentre os recicláveis, é o único que demanda um acondicionamento diferenciado. Por sua periculosidade, principalmente quando já está em cacos, é recomendável que sejam enviados para coleta armazenados em recipiente rígido, como forma de proteção, e sinalizado como “vidro” (escrito, colado, post it…). Assim a integridade física dos agentes da cadeia de reciclagem estará segura.
  • Para que os materiais tenham maior potencial de reaproveitamento, é recomendável que eles cheguem às mesas de triagem nas melhores condições possíveis. Recomenda-se que, dessa forma, que passem por um processo simples de limpeza pré-descarte quando necessário. Embalagens de comida, por exemplo, podem ser deixadas na pia e limpas com a água reaproveitada da louça; potes de iogurte, temperos, requeijão e afins podem passar pelo mesmo processo ou serem limpos com um papel toalha.
  • Materiais que precisam ser descartados juntamente com rejeitos/orgânicos são aqueles que trazem contaminação biológica após seu uso: papéis higiênicos, guardanapos, cotonetes, curativos, entre outros que seguem essa mesma linha.

Dicas práticas para gestão de resíduos caseira:

  • É importante para sua saúde e bem estar que você se organize para não permitir acúmulos extravagantes 
  • (evitando mau cheiro, infestações de animais-insetos e ocupação desnecessária de espaço).

Através da cor dos sacos das lixeiras e facilite o trabalho da coleta (saco azul para recicláveis e preto para rejeitos/orgânicos.)

Armazene as sobras de óleos de fritura e cozimento em uma garrafa PET. Você poderá descartá-la em algum ponto de coleta voluntária ou contratar o serviço de coleta domiciliar

Armazene o material em algum recipiente que o isole dos demais (nada muito complexo, apesar de recipientes rígidos com tampas serem os mais indicados, a utilização de sacos ou sacolas já basta). De acordo com as normas de logística reversa do país, você pode destinar seus medicamentos à farmácia mais próxima, que ficará encarregada da disposição final adequada.

Materiais perfurocortantes, como vidros, talheres, tesouras, alicates e outros objetos pontiagudos, devem ser acondicionados em recipiente rígido (por questões de prevenção de acidentes com cortes) e legivelmente identificado.

Você possui animais de estimação? Uma boa dica é recolher seus dejetos com sacos biodegradáveis. Dessa forma, ao destiná-lo junto aos rejeitos/orgânicos, você contribui para o melhor aproveitamento dos aterros sanitários.

Ficou com
alguma dúvida?
Entre em contato

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato