Financial Times publica estudo sobre efeitos do lockdown nos resíduos no Reino Unido

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

Trashin avalia alterações significativas em relação aos resíduos no Reino Unido, a partir de conteúdo publicado pela Financial Times. E temos novidades e informações sobre impacto no Brasil.

Segundo a revista, para entender o que lockdown significou para a economia do Reino Unido, basta olhar para dentro de uma lixeira.

No início do lockdown houve aumento de 70% nas latas e afins, de acordo com dados coletados pela Suez UK, que lida com cerca de um quinto de todo o lixo do Reino Unido. Também foi reportado que houve um aumento no descarte de vidro produzido pelas famílias, à medida que mais cerveja e vinho são consumidos em casa.  Por outro lado, verificou-se um acentuado declínio no papel, impactado devido aos escritórios fechados.

“Os coletores são realmente o barômetro da economia”, disse John Scanlon, executivo-chefe da Suez UK.

Embora as famílias tenham produzido cerca de 20% mais lixo do que o habitual no período, por estarem  em casa, o nível de resíduos comerciais caiu cerca de 50% devido às empresas fechadas, disse Scanlon. Houve alteração nas duas pontas, mas o balanço foi negativo em termos de volume. O conteúdo da lixeira para uso doméstico mudou bastante durante o bloqueio, de acordo com empresas de reciclagem e coletores de lixo.

Por outro lado, a reciclagem se tornou menos contaminada, enquanto outros notaram uma tendência de pessoas limpando suas casas e gerando mais resíduos – como resultado.

“Penso que, no geral, tivemos um pouco mais de sucesso na reciclagem”, disse Richard Kirkman, diretor de tecnologia da Veolia UK, empresa de serviços ambientais. “Parece que está melhorando em termos de como as pessoas performam na reciclagem. . . e somos capazes de recuperar mais materiais do que antes. ”

 

O desperdício de vidro das famílias aumentou cerca de 10% em comparação com o normal, de acordo com a Veolia U © Charlie Bibby / FT

Ele disse que a demanda por produtos de papel reciclado aumentou durante o lockdown, ajudando o mercado que atua com papel. Enquanto isso, o desperdício de vidro das famílias aumentou cerca de 10% em comparação com o normal, acrescentou.

Outras empresas notaram um aumento no desperdício de plástico, à medida que as famílias jogam fora mais recipientes para bebidas, jarros de leite e garrafas de desinfetante para as mãos – como álcool gel.

“Estamos obtendo materiais muito mais limpos, porque as pessoas estão gastando muito mais tempo com seus resíduos e percebem que ‘Oh, talvez as fraldas não sejam recicláveis'”, disse Neil Grundon, vice-presidente da Grundon Waste Management.

Mas ele acrescentou que o material mais limpo não compensa a queda geral no volume de resíduos produzidos pela economia bloqueada. “Pode ser bom ambientalmente, suponho, mas não tão bom se esperamos uma recuperação [da economia]”, disse ele.

A Trashin percebeu as enormes alterações nos tipos e volumes de resíduos dos clientes, o que vai gerar um artigo em breve, cadastre-se e receba em primeira mão.

Como gerimos resíduos de todos os setores, passando por escolas, industrias, condomínios, bancos e escritórios, temos uma enorme base de dados para fornecer informações preciosas sobre o mercado. Sim, os resíduos também representam o nível de aceleração e retomada do mercado, pois estão na etapa a seguir ao consumo. Portanto, refletem diretamente o que está acontecendo na economia. 

Cada vez mais sabemos a importância das informações na gestão de resíduos e ficamos felizes com o feedback dos nossos clientes neste período histórico que estamos atravessando.